skip to Main Content

Sistema Legado: O que é e quais as principais características?

Sistema Legado: O que é e quais as principais características?

Sabe aquele momento em que você vai fazer uma operação no sistema e é necessário esperar o software organizar os dados e realizar as tarefas? Essa é uma das características que percebemos em um sistema legado: a lentidão.

Um sistema legado é um desafio na rotina das empresas. O problema atinge muito além da área de TI e envolve a todos na era da tecnologia. Recursos lentos, bugs, ausência de funcionalidades e perda de dados são algumas das dificuldades enfrentadas.

O que é um sistema legado?

Os sistemas legados são plataformas ou softwares que estão ultrapassados. Isso quer dizer que, com os avanços da tecnologia, essa infraestrutura começa a se tornar um problema na dinâmica da empresa.

Assim, o sistema antigo não oferece clareza e transparência nas operações com um banco de dados e funcionalidades desatualizados. 

Quais são as principais características dos sistemas legados?

Conheça as quatro principais características de um sistema legado:

1. Software desatualizado

O sistema legado sofre com a falta de atualizações. Os upgrades dos softwares são necessários para a correção de bugs, além de aumentar os mecanismos de segurança contra ameaças virtuais.

É extremamente importante a proteção contra roubos de dados, e manter um sistema desatualizado o expõe totalmente às invasões. Como consequência, isso pode prejudicar não somente o âmbito interno, como também diminuir a credibilidade no mercado.

2. Tecnologia obsoleta

“Obsoleto” é algo que está ultrapassado, antigo ou fora de moda, e essa é uma característica marcante de um sistema legado

A ferramenta pode, por exemplo, ter uma linguagem de programação ou protocolos que já não são mais usados, ou ainda bancos de dados e formatos de arquivos depreciados.

Normalmente, é uma estrutura de hardware antiga, com componentes de mainframes extremamente caros. Eles não conseguem se alinhar às novas diretrizes tecnológicas, como escalabilidade e integração.

3. Falta de escalabilidade

A escalabilidade é uma característica essencial em um desenvolvimento de TI bem sucedido; ela garante flexibilidade e crescimento saudável. Um sistema desatualizado não acompanha o crescimento da empresa e os recursos tornam-se limitados com o aumento da demanda.

4. Dificuldade de manutenção

Como já foi citado anteriormente, um sistema legado muitas vezes foi desenvolvido em uma linguagem de programação que já é ultrapassada, isso faz com que poucos profissionais possam fazer a manutenção, ou até gerar uma demora na manutenção.

Ao perceber essas falhas, chega um momento em que é necessário fazer uma escolha: manter softwares legados ou migrar para um novo?

Substituir, atualizar ou manter um sistema legado?

Substituir, atualizar ou manter um sistema legado?

Ao longo do tempo, sistemas legados podem receber incrementos de novas funcionalidades.  Isso pode auxiliar a suprir as novas demandas do mercado e atualizar bases já existentes.

A manutenção dos softwares legados pode ser um desafio para algumas empresas. Isso porque cada nova tecnologia que surge é uma concorrente para a tecnologia legada. Dessa forma, pode-se gerar menos demanda de profissionais especializados.

Diante destas duas possibilidades de migrar para um novo sistema, os softwares personalizados podem trazer resultados melhores. Isto porque permitem o aproveitamento integral de todas as suas funções e ainda o alinhamento de processo, pessoas e tecnologias. 

É importante lembrar que, apesar das falhas de um sistema mais antigo, nenhuma empresa é obrigada a substituí-lo. Um sistema legado tem como principal característica a dificuldade e alto custo de manutenção para mantê-lo, seja pela própria obsolescência do hardware ou pela dificuldade de lidar com softwares ultrapassados. Essa é uma grande motivação da migração das empresas para um sistema mais eficiente.

Uma migração dividida em etapas pode ser implementada com o auxílio de cloud computing, por exemplo. Alocar parte dos recursos na nuvem enquanto a infraestrutura física é substituída pode ser a forma mais eficaz de contornar eventuais problemas causados pela mudança. 

Integração de sistema legado com novas tecnologias

Além das vantagens citadas, a personalização é desenvolvida por especialistas na tecnologia mais adequada ao negócio de maneira escalável. Da mesma forma que possibilita a total operacionalização do sistema, com eficiência e bons resultados.

Ao decidir pela atualização, é importante que gestores e responsáveis pela área estejam alinhados e cientes da necessidade de adaptação e capacitação da equipe.

O investimento realizado pode ser rapidamente recuperado, já que a redução de gastos com manutenção é significativa.

Segundo o professor Thomas Pigoski, o custo de manutenção de um sistema legado tem crescido de 40%, nos anos 70, para o patamar de 90%, atualmente.

Como a maioria das empresas é totalmente dependente destes sistemas, é preciso modernizá-los sem que isso atrapalhe os processos. Para que isso ocorra, sua empresa pode contar com a equipe interna de TI ou contratar especialistas qualificados através de outsourcing

Vale lembrar que o mercado se atualiza a cada dia mais e exige que as empresas renovem constantemente. Tenha em mente essas dicas e evite que um sistema legado comprometa o desempenho da empresa.

Está precisando atualizar um software legado para melhorar a produtividade da sua empresa? Entre em contato com a nossa equipe e saiba como podemos ajudar a modernizar seus sistemas.

 

Esposa, mãe de dois, escritora e aficcionada por livros. 📚 Trabalha com comunicação há 12 anos e é líder do Marketing e SDR da Lyncas. Ao conciliar os diferentes papéis, deseja que, com seu trabalho, consiga inspirar as pessoas a viver suas vidas de forma mais leve e harmônica. 🙏